sexta-feira, 22 de abril de 2016

na embriaguez

Abaixo o texto lido, gravado por Thiago Tchaiz,, bateria celular Ariadne Inacio, não revisei o poema, está aqui como escrito. Valeu gente do bar pelas doses de encorajamento,

lua
abril
panturrilha
firme. rija
na linha céu
da cidade cinza
luzes da madrugada
poema envelhecido
crianças pelo bairro
descalços pés
ontem sonho
hoje caminho
primeiro passo amanhã
beira do fim
no silêncio da cidade
asfalto frio
céu aberto
invade quarto clarão
deserto meio fio
onde me amparo
cru
tilintar dos copos
cigarros, bocas
perdidos
noite clara
calma quebrada
Marina
mais bela que Dora
clarins
tua teta
sob vestido primavera
caminho da língua
subir ao céu e ver
como tudo é suave
vazio, obscuro
sussurro
no sopro do vento
gênero humano
febril
limite espaço
terrestre
sentido
luz
noite
razão
certeza dessa luz’cidez

Nenhum comentário:

Postar um comentário