quinta-feira, 7 de abril de 2016

Recorte

meu nome escrito
diante de meus olhos
ela
passeando pela cabeça
o corpo
ainda instiga sentidos
hoje
nem branca folha é
não posso deslizar
a pena sobre sua pele
troco o meu nome pelo seu
tesoura
desejo
necessidade
retalhar o tempo

para ganhar outra forma 

Nenhum comentário:

Postar um comentário