quarta-feira, 8 de junho de 2016

Como muda!

Junto ao resto da cama
recolhia seus pedaços
atropelados
e em acrobacias do dia
refletia suas formas
eclodidas
retorcidas por pupilas
ensimesmadas
mais vivas que ela
suas partes
moldando-se sempre
apressadamente
até que a noite,
em cacos,
as recolhia

certo dia resolveu
mudar a ordem das coisas
e antes de dormir
silenciou-se
______________________

pensou em tudo que a retorcia
e passou a desenhar
o que no mundo
ou nela mesma,
já não cabia

seu lápis rasgou-se por folhas
dejetos e monstros
juntava troços de pessoas
a cortes de animais
planta e concreto, 
abjetos, insetos
restos
criou borrrões
explosões

foi quando os sonhos
começaram a engolí-la
e então mastigada
acordava digerida
cada dia era uma nova
marcas de guerra
confusa
arredia
sempre nascendo
como muda!
mas enfim

era uma.

Nenhum comentário:

Postar um comentário